Somos...

Somos...
Rebele-se Contra o Racismo!

quarta-feira, 20 de março de 2013

Ditaduras no mundo Muito se fala em democracia e, por vivermos em uma, isso se torna algo muito comum e natural. Mas essa palavrinha é simplesmente ignorada. Hoje, há pelo menos 40 ditadores no mundo e quase 2 bilhões de pessoas vivendo sob esse regime. ...



Ditador era o título de um magistrado da Roma antiga apontado pelo senado romano para governar o estado em tempo de emergências. No sentido moderno, refere-se a um governante absolutista ou autocrático que assume solitariamente o poder sobre o Estado (apesar de o termo não ser aplicado a monarquias absolutistas).
Os ditadores romanos eram geralmente apontados por um consul e eram investidos de avassaladora autoridade sobre os cidadãos, mas eram originalmente limitados por um mandato de seis meses e não possuiam poderes sobre as finanças públicas. Lucius Cornelius Sulla e Júlio César, entretanto, aboliram estas limitações e governaram sem estas restrições. Os romanos abandonaram a instituição da ditadura após o assassinato de César.
Ditadores modernos geralmente vieram ao poder em tempos de crise. Muitas vezes eles tomaram o poder através de um golpe de estado, mas em outras, notavelmente Benito Mussolini na Itália e Adolf Hitler na Alemanha, ascenderam ao cargo através de meios legais e, uma vez no poder, gradualmente dissolveram as suas restrições constitucionais. A concentração de poder do Partido Comunista da União Soviética em Joseph Stalin se desenvolveu numa ditatura pessoal, mas após a sua morte emergiu um sistema de ditadura coletiva. Diversas nações latino-americanas e africanas passaram por diversas ditaduras, muitas sob o comando de uma junta militar, principalmente na Uganda onde Idi Amin exercia seu poder.

No sistema da República romana, um ditador era a pessoa a quem era concedido temporariamente um significativo poder sobre o estado durante tempos de guerra. O mandato durava apenas seis meses. O modelo ideal foi Cincinnatus, que, de acordo com a lenda, estava arando a terra quando chamado para ser ditador, saindo para salvar Roma e depois retornando ao trabalho, renunciando todas as honras e poder, após apenas três meses. Outros ditadores famosos foram Lucius Sulla e Júlio César.

Como os 13 piores ditadores
É um paradoxo o que vou expor aqui, mas vejamos, a morte leva para lugar nenhum; céu ou inferno, criação da imaginação dos terráqueos, canalhas de todos os tipos e ao invés da bosta do mundo ou bosta de países evoluírem para um perfeito equilíbrio; o melhor geral, nada ocorre de positivo neste sentido. Vejo que o saber certo de que não digo um dia, mas a qualquer momento se possa morrer, desenvolve a amplitude do egoísmo e ambição, e ninguém mais que saber do dia seguinte, só importando o agora, e o futuro que se dane, futuro como ele é hoje, resultado dos ilusórios governos e sociedades no decorrer da história da humanidade. A tendência sem retorno é a destruição da sociedade mundial como consequência natural e estagnada do uso apenas de 10% da capacidade de inteligência dos terráqueos. Portanto não existe evolução e sim e apenas uma regressão que levará a humanidade ao seu final inevitável. Os terráqueos não tem capacidade de evolução cósmica natural e a confundem com conhecimento em tecnologia. Um dia tudo não existirá e mesmo com a colonização de marte, nossa raça não será eterna e está com seus bilhões de anos a frente, contados.
Desde problema não sofrem as raças super evoluídas que viajam a bilhões de anos antes pelo universo infinito visitando galáxias e outras raças também super evoluídas e em total harmonia. Sempre seremos os primitivos parasitas violentos e destrutivos que não amam o seu planeta natal, muito menos o seu semelhante

Benito Mussolini, Itália (1883-1945): executado por comunistas, teve seu corpo pendurado de cabeça para baixo para exibição pública e confirmação de sua morte;
Adolf Hitler, Alemanha (1889-1945): suicídio;
Francisco Franco, Espanha (1892-1975): declínio de saúde e mal de Parkinson;
Mao Zedong, China (1893-1976): declínio de saúde e possível esclerose lateral amiotrófica (doença de Lou Gehrig);
Francois “Papa Doc” Duvalier, Haiti (1907-1971): diabetes e doenças cardíacas;
Kim Il-Sung, Coreia do Norte (1912-1994): ataque cardíaco;
Augusto Pinochet, Chile (1915-2006): insuficiência cardíaca e edema pulmonar;
Nicolae Ceausescu, Romênia (1918-1989): executado por um pelotão de fuzilamento;
Idi Amin, Uganda (1925-2003): falência múltipla de órgãos;
Saddam Hussein, Iraque (1937-2006): considerado culpado de crimes contra a humanidade, foi enforcado;
Moammar Gaddhafi, Líbia (1942-2011): capturado, espancado e morto por rebeldes;
Kim Jong-Il, Coreia do Norte (1941 ou 1942-2011): ataque cardíaco. [LiveScience


UNEGRO 25 ANOS DE LUTA
REBELE-SE CONTRA O RACISMO!
fonte:hypescience.com/como-os-13-piores-ditadores-do-mundo-morreram/

Nenhum comentário:

Postar um comentário