Somos...

Somos...
Rebele-se Contra o Racismo!

terça-feira, 12 de abril de 2011

JUVENTUDE DA UNEGRO



Com a presença da Coordenadora Nacional de Juventude, Ângela Guimarães, da Coordenadora de Trabalho e Renda, Mônica Custódio, da anfitriã Estela Mares (Coord. De Mulheres) e com expressiva presença da juventude, a coordenação estadual da entidade em Santa Catarina debateu sobre algumas das suas diretrizes. O tema discutido na ocasião foi: “A organização da UNEGRO entre a juventude”, aproveitando o ensejo de estarem em Florianópolis, cidade que sediará o seu primeiro encontro nacional para acertar mais detalhes acerca do mesmo.


Relatos sobre a atuação da UNEGRO nos espaços dos conselhos de direitos no estado de Santa Catarina, assim como sua organização entre cotistas da UFSC, enriqueceu ainda mais o debate. O balanço dessa discussão aponta para uma UNEGRO próxima às demandas da juventude negra catarinense, porta voz de suas demandas, influente e com grandes condições de ampliação de sua presença no ano que se inicia.


Seguido a esse debate, foram expostos os objetivos, tema, metodologia e metas de mobilização do I ENAJUNEGRO, além de definições sobre a data de sua realização: de 21 a 24/04, no feriado de Tiradentes e Semana Santa. A meta do encontro será a mobilização de um total de 100 jovens presentes ao encontro nacional.


Assim como discutido entre a juventude unegrina durante a sua última plenária nacional, em julho passado, reafirmamos a necessidade da realização de encontros regionais preparatórios, observadas as condições estruturais da região. Ou seja, desde que não comprometa a infraestrutura de deslocamento e mobilização da delegação ao Encontro Nacional.


O período para a realização dos encontros nas cinco regiões brasileiras é de 25/01 até 10/04. A despeito disso, estabelecemos que até o dia 01/02 deve estar circulando na lista e no blog da juventude (http://unegrojovem.wordpress.com/) o texto-base que orientará as discussões do referido encontro. Ficou definida, também, a construção de um questionário que deverá ser respondido por todas e todos jovens unegrinos participantes de qualquer etapa do encontro visando o reconhecimento da realidade da juventude da entidade o que orientará ainda mais as nossas ações no segmento.


No contexto acima descrito, debatemos ainda que o ano de 2011 já está sendo repleto de grandes desafios para a juventude negra, pois foi decretado como o Ano Internacional dos Afrodescendentes pela ONU, o que ensejará uma série de debates e ações pelos governos em todo o mundo. É, também, o ano de realização de importantes eventos para toda juventude negra, como o III Encontro Nacional de Estudantes Negr@s e Cotistas da UNE (em maio, na Bahia); o IV Congresso Nacional da UNEGRO (em julho, em Brasília); o II Encontro Nacional de Juventude Negra (II ENJUNE) (em julho em Santos/SP). Este último, convocado pelo Fórum Nacional de Juventude Negra, espaço político do qual nos retiramos em 2008 e que é hegemonizado por apenas uma corrente política petista impedido o caráter plural objetivo como qual foi criado. Isso tudo, além do amplo, rico e plural processo de construção da II Conferência Nacional de Juventude, convocada pelo Governo Federal em parceria com o CONJUVE espaço do qual fazemos e parte e gozamos de legitimidade política.


Ufa!!! Já deu para perceber que a juventude unegrina não terá um segundo sequer para descansar em 2011. Por isso, decidimos pela realização de conferências livres da juventude desde já. Transformando cada debate de construção do I EJAUNEGRO em espaço de preparo também para todo este rol de atividades, que contém seus desafios políticos próprios e requerem nossa mobilização e protagonismo político.


O fundamental é ampliar a nossa presença entre a juventude negra, filiar milhares de jovens à UNEGRO e politizar ainda mais o movimento de juventude negra. Tudo isso, mediante bandeiras de luta que vão do combate intransigente ao racismo em todas as suas formas de manifestação e da defesa das ações afirmativas À democratização do Estado brasileiro.


Além da necessidade de superação do capitalismo, o sistema econômico responsável pelo acesso desigual a direitos, pela enorme concentração de renda e pelas desigualdades sociais, que estruturam a sociedade brasileira e resultam na negação de direitos à população negra e à juventude em específico.


Por Ângela Guimarães


Salve a juventude da UNEGRO!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário