Somos...

Somos...
Rebele-se Contra o Racismo!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Jesus menino: Feliz Natal....

Jesus menino e sua família nasceu na África, se escondeu entre os negros por se confundir com ele e para quem acredita, aí estão as fontes bíblicas.
Jesus nasceu em África. Os Evangelhos dizem de maneira explícita que Jesus nasceu em “Belém de Judá, no tempo do rei Herodes” (Mt 2,1 cfr. 2, 5.6.8.16), (Lc 2, 4.15), (Jo 7, 40-43).

Nos tempos antigos, incluindo o tempo de Jesus, Belém de Judá era considerado parte de África. Até a construção do Canal de Suez, Israel fazia parte da África. Esta visão haveria de perdurar até 1859, quando o engenheiro francês Ferdinand de Lesseps pôs-se a construir o Canal de Suez. A partir daí, foi a África separada não somente geográfica, mas sobretudo histórica, cultural e antropologicamente do que hoje chamamos Oriente Médio. Aquela milenar extensão da África passa a figurar nos mapas como se fora Ásia.

Jesus tinha presença negra na linhagem familiar. A genealogia de Jesus foi misturada com a linha de Cam desde os tempos passados em cativeiro no Egito e na Babilônia. Nos antepassados de Jesus através de Cam, lado feminino desta mistura, há cinco mulheres mencionadas na genealogia de Jesus Cristo ( Tamar, Raabe, Rute, Bateseba e Maria) (Mateus 1:1-16). As primeiras senhoras mencionadas eram de descendência de Cam. Assim,

Jesus pode ser aclamado etnicamente pelos povos semitas e descendentes de Cam.
Jesus era da tribo de Judá, uma das tribos Africanas de Israel. Ancestrais masculinos de Jesus vêm da linha de Sem (miscigenados). No entanto, a genealogia de Jesus foi misturada com a linha de Cam desde os tempos passados em cativeiro no Egito e na Babilônia. O antepassado de Jesus através de Cam é narrado em Gênesis 38: então Tamar, a mulher Cananéia (Negra) fica grávida de Judá, e dá à luz aos gêmeos Zerá e Perez, formando a Tribo de Judá, antepassados do rei Davi e de José e Maria, os pais terreno de Jesus.

"Se Jesus fosse branco, loiro de olhos azuis, teria sido difícil para ele e sua família se esconder entre os egípcios negros sem ser notado"...



Desde sua crucificação(para os cristão), está no coração, você está na alma de todos os filhos e filhas da África cujos antepassados carregaram a cruz contigo. Nós cantamos e gritamos como os anjos, nós fazemos soar nossos sinos de alegria, nós tocamos nossas buzinas em elogios porque Você é verdadeiramente Jes-us, o Cristo, o EMMANUEL conosco, o Filho de Retidão, o Príncipe de Paz.

Se liga:Na Roma Antiga festejavam-se as Saturnálias em homenagem a Saturno, deus da agricultura. Era um período de paz e de recolhimento (meio do inverno), quando as pessoas trocavam presentes, e amigos e familiares se reuniam em suntuosos banquetes. Os celtas, outra etnia majoritária na Europa naqueles tempos, festejavam por seu lado o próprio solstício de inverno.
Apenas em ano 274 depois de Cristo, o imperador Aureliano decidiu que no dia 25 de dezembro fosse festejado o Sol. Disso deriva a tradição do "tronco natalício", grande pedaço de madeira que nas casas deveria queimar durante 12 dias consecutivos e deveria ser preferivelmente de carvalho, madeira propiciatória. Dependendo do modo como ela queimava, os romanos faziam presságios para o futuro. Nos dias de hoje, o tronco natalício se

transformou nas luzes e velas que enfeitam e iluminam as casas, árvores e ruas.
"O Natal como dia do nascimento de Jesus Cristo surgiu em tempos bem mais recentes, ao redor do século 4 da nossa Era. Até então, essa era a data de algumas das mais importantes celebrações do calendário pagão".
Tudo surgiu devido às muitas dúvidas relacionadas ao dia correto do nascimento de Jesus. Até hoje não existem referências históricas precisas capazes de atestar essa data. Os próprios Evangelhos, surgidos 3 ou 4 séculos depois da sua morte, não fazem nenhuma referência nem ao dia, nem ao mês, nem ao ano em que o Senhor apareceu na Terra.

Somos filhos e filhas da África, somos, 400.000.000 de africanos ao redor do mundo, e vamos orar nesta Natal pela Redenção cada um na sua crença daquela Mãe Terra que cobriu a nosso bendito Redentor quando os selvagens e malvados homens do mundo buscaram sua vida... Da mesma maneira que os selvagens e malvados homens do mundo de hoje buscam a vida dos Negr@s, e os queimam, lincham e matam porque eles não têm a força para fazer-lhe frente ao homem...Mas que o senhor da vida nós guie a dias melhores e cantaremos e cantaremos pela liberdade, pela liberação e pela vida.

Junto com essa imagem de Jesus Libertador, porém, incorpora influências do Movimento de Consciência Negra, que convida negros e negras a acolher a beleza de
sua raça.
Feliz Natal


Um afro abraço.

Claudia Vitalino.

fontes de pesquisa:www.fatosdesconhecidos.com.br/unegro cultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário