Somos...

Somos...
Rebele-se Contra o Racismo!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Histórico da UNEGRO


A União de Negros pela Igualdade (Unegro) foi fundada em 14 de julho de 1988, em
Salvador, na Bahia, por um grupo de militantes do movimento negro para articular a luta contra o racismo, com a luta de classes e contra as desigualdades de gênero. Seu principal objetivo é transformar o Brasil numa nação socialista e multi-racial.


A UNEGRO (União de Negros pela Igualdade) é uma entidade de combate ao preconceito, à discriminação racial e ao racismo, fundada em 14 de julho de 1988, na cidade de Salvador, e organizada em âmbito nacional, com assento no Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR), órgão integrante da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) da Presidência da República, hoje a entidade está organizada ou nucleada em 24 (vinte e quatro) Estados da Federação e conta com uma Coordenação Nacional, Executiva Nacional e Secretaria Nacional, sediada em Salvador.


A UNEGRO tem intensificado sua ação na busca de alternativas sócio-políticas de combate ao racismo, ao preconceito e à discriminação impostos à população negra, bem como na luta por justiça social para todos, indistintamente, através de ações comunitárias, articulações em fóruns do movimento social e do movimento negro, e da participação nos conselhos paritários - governo e sociedade civil.


Várias ações importantes envolvendo o movimento negro e anti-racista tiveram a contribuição da Unegro. Dentre elas, podemos citar:

“Processo preparatório e “Conferência Mundial de Combate ao Racismo, Discriminação Racial, Preconceito, Xenofobia e Intolerância Correlata”, realizada em DURBAN, na África do Sul, de 31 de agosto a 07 de setembro de 2001;

- “Seminário de EXPERTS da América Latina”, na sede da CEPAL, em Santiago (Chile) – seminário preparatório para a “Conferência Mundial de Combate ao Racismo, Discriminação Racial, Preconceito, Xenofobia e Intolerância Correlata”;


"Conferência Regional das Américas”, em dezembro, também em Santiago (Chile);

“Fórum de ONGs pela Diversidade e Pluralidade”, em Quito (Equador)²;

“Fórum Social Mundial”, desde sua primeira versão, em janeiro de 2001;


Realização do seminário “Em Defesa da Criança e do Adolescente”, com o objetivo de envolver entidades do movimento negro e do movimento popular na defesa de crianças e adolescentes, atividade que culminou na participação do movimento negro na campanha “Não Matem Nossas Crianças”;
Participação na construção do I e II “Encontro Nacional de Educação Social”, realizado em São Paulo e Maringá/PR, respectivamente;
Conferências Nacionais: das Cidades, Segurança Alimentar, Saúde da População Negra, Educação, criança, Esporte, Educação;
Participação na comissão organizadora do “I ENEN – ENCONTRO NACIONAL DE ENTIDADES NEGRAS”, que deliberou pela criação da CONEN (Coordenação Nacional de Entidades Negras), da qual a UNEGRO tornou-se membro da direção;
Participação no “II ENEN” e atuação nos fóruns estaduais em que a CONEN está presente;
“Participação no processo de construção do I e II “Encontro Nacional de Mulheres Negras”,
em Salvador e Belo Horizonte, respectivamente – a UNEGRO compõe a Executiva e a Coordenação do “Fórum Nacional de Mulheres Negras”;
- “Participação na “Marcha de 300 Anos da Imortalidade de Zumbi dos Palmares”, realizada em Brasília, em 1995, evento com o qual o movimento negro nacional reivindica do Estado brasileiro a implantação de políticas públicas de elevação da qualidade de vida da população negra;
Participação no “I Congresso Continental dos Povos Negros das Américas”, realizada em 1995, em São Paulo;
“Participação no “II Encontro Afro-caribenho e Latino-americano de Mulheres”, em SAN JOSÉ (Costa Rica), em 1996;
Participação no “Encontro dos Embaixadores dos Países Africanos e do Caribe”, em Brasília (DF), em 2000;
Participação em todo processo de construção da “I Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial”, realizada em Brasília, nos dias 30 de junho e 1 e 2 de julho de 2005;
Participação em todas as marchas e eventos públicos, em âmbito nacional, realizados na “Semana da Consciência Negra”;
Coordenação da “Marcha Zumbi+10” - reedição da “Marcha de 300 Anos da Imortalidade de Zumbi dos Palmares”, de 1995, que se realizou, novamente, em Brasília, em 22 de novembro de 2005. Em junho do ano 2007, na cidade do Rio de Janeiro, a entidade realizou o seu 3º Congresso Nacional, fórum máximo da organização e elegeu a sua nova coordenação, com o objetivo de fortalecer a Unegro. Todos os estados, que a entidade está organizada, estiveram presentes. Durante o evento, Edson França, coordenador nacional da UNEGRO, frisou a importância dos militantes da entidade compreenderam o seu papel dentro da organização, pois o fortalecimento da UNEGRO está diretamente ligado a participação dos seus integrantes. "A UNEGRO é o que seus militantes produzem. O nosso fortalecimento se dará através das nossas atuações. Somos todos responsáveis pelo sucesso da nossa organização", afirma Edson.
Dentre as suas ações pelo país, é possível destacar algumas atuações, como o projeto Rua do Samba, na cidade de São Paulo, que acontece no último sábado de cada mês, na Rua General Osório, bairro da Luz e atrai cerca de 3 mil pessoas. O projeto faz um resgate do verdadeiro samba paulista. Além disso, a Unegro desenvolveu durante anos o projeto Risco e Rabisco, no Jardim Brasil, zona Norte, que tinha o objetivo de livrar crianças e jovens da marginalidade. Em Salvador, o Ponto de Cultura da Unegro, localizado no bairro da Fazenda Grande, atende diretamente 300 jovens, que são estimulados, através de oficinas de dança, informática, capoeira, hip hop, a desenvolverem a sua consciência étnico racial. Além de todos os anos


realizarem a premiação do Troféu Clementina de Jesus, que premia personalidades negras que se destacaram na luta anti-racista. Já em Pernambuco, desde o dia 05 de abril, todo último domingo de cada mês, ocorre o projeto Negro Samba Sim, no Mercado da Ribeira, que se transformou em um grande centro cultural, mas que nos séculos XVIII e XIX era ponto de vendas de mulheres e homens escravizados. O local foi escolhido como forma de reparar a população negra pelo seu sofrimento e de resgatar a cultura do samba.
Com esta atuação, a União de Negros pela Igualdade se transformou num pólo efetivo de reflexões e organização dos negros brasileiros para a luta contra o racismo. Apesar de contar com poucos recursos materiais, pois sua sustentação básica vem da contribuição financeira voluntária dos seus militantes, nestes 22 anos de existência, a organização acumulou um capital político que a credencia como uma das principais interlocutoras do movimento negro brasileiro.
2008 – na Bahia - Colóquio África e Diáspora - O lugar da Mulher na Geopolítica: Refletindo sobre os desafios das lutas contra a pobreza e o racismo.
No Rio de Janeiro, a UNEGRO o I e II Encontro de Matriz Africana de Sépetiba
,
Organização e atividades do 8 de Março.
Foi à maior delegação Nacional do Encontro dos Movimentos Sociais em 2010 em São Paulo,
Estamos no CONSEA Estadual, Comitê Técnico de Saúde de Saúde da População, na
Executiva do Coletivos de Mulheres Negras, no Conselho do Negros de alguns Municípios com: Rio de Janeiro e Volta Redonda e estamos constituídos em mais de 15 núcleos em todo o estado do Rio de Janeiro.
Projeto Samba na Raiz que se iniciou em Maio de 2010 que tem como objetivo registro oral deste patrimônio da cidade do Rio do Janeiro, este projeto tem data prevista de seu termino o mês de Maio de 2011.


Um afro abraço.
fonte?unegro

Nenhum comentário:

Postar um comentário