Somos...

Somos...
Rebele-se Contra o Racismo!

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

27 de outubro – Dia da Mobilização Nacional Pró-Saúde da População Negra

27 de outubro, é o dia da Mobilização Nacional Pró-Saúde da População Negra.
Neste período, homens, mulheres, jovens, adultos, gestores, pesquisadores e a sociedade civil se
articulam por meio de atividades em todo o país para promover e defender o direito da população negra à saúde. Neste sentido, a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, juntamente com o Fundo de Populações das Nações Unidas, vem desenvolvendo um Projeto de Cooperação Técnica que prevê, entre outras ações, um mapeamento nacional de pesquisadores em Saúde da População Negra e a criação de um banco de dados para ampla divulgação e que subsidie o processo de consolidação de uma ação em rede e estimule a produção de estudos e pesquisas neste campo de conhecimento.

"Não podemos mais deixar que negros e negras continuem morrendo de causas evitáveis. Lembre-se que Racismo não combina com a Política Nacional de Humanização do SUS."

Política Nacional de Saúde Integrada da População Negra.

De acordo com o levantamento da Coordenação Geral de Informações e Análise Epidemiológica da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade materna por 100.000 pessoas era, em 2011, de 68,8 para mulheres negras e de 50,6 para mulheres brancas. Os homicídios aparecem como segunda causa de morte mais frequente entre a população negra, enquanto na população branca, o indicador aparece em quinto lugar.Algumas doenças genéticas ou hereditárias são mais comuns da população negra e exigem um acompanhamento diferenciado, como Diabete melito (tipo II), hipertensão arterial, miomas, deficiência de glicose 6 fosfato desidrogenas, além da anemia falciforme, que pode ser encontrada em frequências que variam de 2% a 6% na população brasileira em

geral, e de 6% a 10% na população negra.
Constitui-se base fundamental para a qualidade de vida e bem estar da população negra enfrentar o racismo na sociedade, assim como nas instituições (o racismo institucional) e no sistema de saúde. Respeito, diálogo e incorporação das formulações e práticas da cultura afro-brasileira às ações e políticas de saúde e a atenção que inclui não apenas prevenção e assistência à saúde, mas fundamentalmente a defesa da implementação plena do Sistema Único de Saúde (SUS).


As instâncias de controle social têm um importante papel a desempenhar na reorientação do SUS para efetivação dos seus princípios e a superação das desigualdades raciais em saúde. Outro fato decisório para os movimentos sociais e sindicais é ter disponíveis informações sobre as condições gerais de vida das populações como um importante instrumento para o planejamento das ações e intervenções na área da saúde e a produção de políticas sociais. Dado que as doenças acontecem de maneira diferente entre os grupos populacionais, o sexo, a classe social, o grupo etário e outros é necessário identificar estas diversidades e suas implicações na saúde, especialmente voltado para a população negra.


• Plano Estadual de Saúde – elaboração do texto do Plano Estadual de Saúde que propõe 'garantir a atenção integral à saúde da população negra'.

• Plano Operativo Anual – elaboração de metas e estratégias para cumprir a Política Estadual de Saúde, o Plano Estadual de Saúde e a atenção à saúde da população negra.



• Quesito cor nos sistemas de informação do SUS – inclusão do quesito cor no Sistema de Informação Hospitalar e no Sistema de Informação Ambulatorial do Sistema Único de Saúde; em dezembro de 2007, o Ministério da Saúde publica a Portaria nº 719 de 28.12.2007.

• Articuladores de Saúde da População Negra nos DRS – criação de articuladores de Saúde da


- População Negra nos dezessete Departamentos Regionais de Saúde, possibilitando a capilaridade da Política pelos municípios do Estado.

Doenças mais frequentes a população negra.


PRÉ-ECLÂMPSIA:
Desenvolvida por mulheres grávidas, a pré-eclâmpsia é um problema grave, marcado pela elevação da pressão arterial, que pode acontecer a qualquer momento da segunda metade da gravidez, ou seja, a partir de 20 semanas, mas é mais comum a partir de 27 semanas.
DOENÇAS CARDÍACAS: Pessoas negras com casos de doenças cardiovasculares na família têm uma maior propensão para desenvolverem doenças que afetam o sistema cardiovascular.

DEFICIÊNCIA DE GLICOSE 6-FOSFATO DESIDROGENASE: Nos Estados Unidos, a incidência de G6PD é maior entre a população negra, com uma frequência de heterozigotos (requisito de portador com um gene normal e outro irregular) de 24%, e muro de 10% a 14% dos homens desse grupo são afetados.

HEMORRAGIA SUBARACNÓIDE: Representa 5% de todos os acidentes vasculares cerebrais e atinge 30.000 casos/ano nos Estados Unidos. Aneurismas na base do cérebro são responsáveis por 80% dos casos, sendo um dos fatores de riscos envolvidos, os portadores de anemia falciforme.

Anemia atingem  *  Doenças Falciforme  *  Negros Pré Eclampsia  *  Subaracnoide  *

Doença Falciforme (patologia mais conhecida)
O Programa Nacional de Triagem Neonatal/PNTN é fundamental para o diagnóstico de doenças falciformes feito em recém-nascidos por meio do teste do pezinho. A partir dos 04

meses de vida pode ser feito o exame de eletroforese de hemoglobina em Unidades de Atenção Básica, para que intercorrências da doença possam ser evitadas com tratamento imediato.
GLAUCOMA: Pessoas da etnia negra têm maior predisposição (quatro vezes mais) de serem afetadas pelo glaucoma em relação aos brancos ou caucasianos. No mundo todo, inúmeras pesquisas estão sendo realizadas para esclarecer quais são as verdadeiras causas do glaucoma, melhorar os meios para se chegar aos diagnósticos e tornar o tratamento eficaz e mais fácil.

DESAFIO AO CICLO DA PNSIPN
Os estudos sobre desigualdades em saúde evidenciam o racismo como determinante social da saúde e seus impactos, conforme indicado pelos diferenciais no perfil da morbimortalidade da população segundo raça/cor. Para responder às necessidades desse segmento da população, o

Ministério da Saúde criou, em 2006, a PNSIPN.

Um afro abraço.

fonte:CTSPNEGRA/ UNEGRO-SAUDE

Nenhum comentário:

Postar um comentário