Somos...

Somos...
Rebele-se Contra o Racismo!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Mestre Vitalino

 Vitalino Pereira dos Santos, o Mestre Vitalino.
Nasceu em Caruaru no Distrito de Ribeira dos Campos, 10 de julho de 1909 — Caruaru20 de janeiro de 1963) foi um ceramista popular brasileiro.
Filho de lavradores, Mestre Vitalino foi um artesão por retratar em seus bonecos debarro a cultura e o folclore do povo nordestino, especialmente do interior dePernambuco e da tradução do modo de vida dos sertanejos. Esta retratação fico conhecida entre especialistas como arte figurativa.
O artista passou a desenvolver a modelagem no barro a partir dos 6 anos. Os bonecos eram os brinquedos do menino Vitalino.
Aprende o ofício com a mãe e, a partir dos 6 anos, executa, com as sobras das panelas, pequenos animais para vender na feira. Em 1930 começa a modelar grupos humanos e, a partir de 1935, grandes conjuntos que o tornam conhecido.

Oferecendo seu trabalho na feira de Caruaru, contribui para fazer da cidade o grande centro ceramista do Nordeste. Em 1947 esse trabalho chama a atenção do pintor Augusto Rodrigues, que organiza no Rio de Janeiro a I Exposição de Cerâmica Pernambucana, que dá fama nacional a Mestre Vitalino em 1949, a fama foi ampliada com exposição no Masp. Em 1955, integrou em NeuchatelSuíça, a exposição Arte Primitiva e Moderna Brasileiras.
O reconhecimento do artista foi ampliado após a sua morte. A biografia do artista inspirou o samba-enredo da Império da Tijuca nos carnavais de 1977 e 2012. A Festa de São João de Caruaru o adotou como a personalidade homenageada de 2009.

Suas obras mais famosas são VioleiroO enterro na redeCavalo-marinhoCasal no boiNoivos a cavaloCaçador de onça e Família lavrando a terra.
A produção do artista passou a ser iconográfica e inspirou a formação de novas gerações de artistas, especialmente no Alto do Moura, bairro de Caruaru, onde viveu. A casa onde viveu parte de sua vida atualmente é a instalação da Casa Museu Mestre 
Vitalino. O entorno é ocupado por oficinas de artesãos.
Sua obra compreende mais de cem peças de diversos tamanhos feitas de massapé, extraído do rio Ipojuca, que se encontram nos principais museus do país. Destacam-se Casa de FarinhaZabumbaLampião e Vaquejada. Assina, a partir de 1949, peças marcadas com o carimbo VPS. Morre em Caruaru.
Parte de sua obra pode ser contemplada no Museu do Louvre, em Paris, na França. No Brasil, a maior parte está nos museus Casa do Pontal e Chácara do CéuRio de Janeiro; no Acervo Museológico da UFPE, em Recife; e em Alto do Moura.
Um afro abraço.
fonte:Wikipédia, a enciclopédia livre/www.itaucultural.org.br/aplicexternas/...ic/index.cfm?


Nenhum comentário:

Postar um comentário